Bem-vindos ao meu site!

Cacau dos Santos

Designer Web Designer Cool Hunter Mídias Sociais e nas horas vagas... Blogueira!

10 maio 2017

Licor de Cacau - 1ª Temporada - #12 - Boy crush

  • maio 10, 2017
  • by
Imagem: Unsplash

(1) Sobre fundo preto surgem, em letras brancas, sucessivamente, as seguintes frases:

AVISO: A história a seguir contém linguagem atípica, palavrões, termos em inglês, muitos pontos de exclamação e referências da cultura pop e, devido ao seu conteúdo, este pode causar crises de risos e nostalgia aos leitores. Todos os personagens e eventos - mesmo aqueles baseados em pessoas reais - são fictícios. Se por ventura você se identificar com algo que foi escrito ou com alguém citado, isso significa que a sua loucura se parece um pouco com a minha e aproveite esse momento de coincidência para me seguir no instagram: @thecacaudossantos

(2) As frases desaparecem em fade e surge título da série seguida da primeira cena


LICOR DE CACAU
EPISÓDIO 12 – Boy Crush
Escrito por: Cacau dos Santos

Rio de Janeiro, Casa do Chouri
22 de março de 2017
6h32 am
Música de cena:


Pego o celular de Chouri, que está na cabeceira de sua cama, e vejo a hora, são 6h32 da madruga. Já sei porque acordei tão cedo assim: se estivesse em casa a essa hora a Cake estaria acordada, brincando na sala e eu iria acabar acordando com a farra dela. Ela faz isso sempre, todos os dias, desde o dia que chegou. E eu já me acostumei a essa rotina, tanto que não importa aonde eu esteja e com quem eu esteja, sempre acabo acordando 6h30 am.

Sem a Cake por perto me resta ficar ali deitada ao lado do corpo nu de Chouri que dorme de barriga pra cima e está num sono tão tranquilo, tá até com um sorrisinho meio malicioso no rosto. Será que ele está sonhando com o que aconteceu?

Aaaah o que aconteceu... basicamente foi o seguinte:

FUMACINHA DO FLASHBACK

Eu entrei no quarto do Chouri, ele trancou a porta, me virei pra falar alguma coisa e ele se aproximou. Eu tentei falar mas não consegui, as palavras sumiram e o choro queria se manifestar. Umas poucas lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto e ele as enxugou. Ele se aproximou mais de mim e eu dele e, de repente, no meio daquele diálogo mudo, nós começamos a nos beijar! E foi um beijo tão intenso, tão cheio de vida e energia que, quando dei por mim, eu já estava tirando o macacão vermelho dele e ele a minha roupa e ali estávamos nós deitamos nus na sua cama e CHABLAL!
FIM DO FLASH BACK, APAGA A FUMACINHA

Pois é, minha intuição ou sexto sentindo feminino ou seja lá o que isso for estava certa, acabei indo para a cama com Chouri. Que merda, hein? Ou não porque eu estou solteira, Pedro deixou claro que o que tínhamos não lhe era tão importante assim como era pra mim e eu não devo nada a ninguém, muito menos a ele! Sou eu que pago as minhas contas (quando tenho dinheiro).

Enfim, me viro para o lado esquerdo e apoio a cabeça sobre a minha mão e continuo ali deitada ao lado do corpo nu de Chouri e o observo dormir. O danado é charmoso, não é bonito mas é charmoso... gostosinho, como diria Alice... como pode? Depois de tudo a gente ter ido parar na cama! Mesmo meu sexto sentido berrando que isso iria acontecer eu nunca, de fato, imaginei que iria acabar dando para o meu amigo de infância! Mas foi bom, viu, não posso negar, a coisa foi mesmo danada de boa!

De repente ele se move, abre o olhos lentamente e os pisca várias vezes e, por fim, acaba acordando. Quando olha em minha direção eu lhe lanço um sorriso de Monalisa e ele retribui com um sorriso torto e sem dentes também.

- Bom dia – ele diz enquanto se espreguiça.
- Bom dia – eu respondo ainda com a cabeça apoiada na mão.
- Dormiu bem?
- O pouco que dormi, sim!
- HAHA!

É, já que só fui dormi, oficialmente, lá pelas 3 da madrugada porque... né...

- E você, dormiu bem? – pergunto.
- Maravilhosamente bem! – responde enquanto começa a deslizar a mão sobre a minha cintura. Não acredito que ele vai querer mais?! COMO ASSIM, JOVEM?! Tento resistir e me mantenho séria.
- Chouri... você sabe que o quê rolou não deveria ter acontecido, não é?
- Se não era para ter acontecido então por que você veio até aqui ontem? – pergunta com uma voz meio sedutora.
- Aaah eu vim aqui porque... – paro e penso por alguns segundos - ... sei lá... eu precisava muito conversar com alguém, desabafar, um ombro pra chorar mas quando te vi e quando você me deixou entrar no seu quarto, as coisas meio que perderam o controle e deu no que deu MAS NÃO ERA PRA TER DADO, literalmente falando!
- HAHAHAHAHA! – e ele cai na gargalhada.
- É sério, Chouri, para de rir!
- Tá, e você queria desabafar sobre o quê?
- ...Sobre o Pedro...
- Pedro? – e sua expressão muda na hora.
- É, aconteceu uma coisa muito chata e meio que envolve você.
- EU?! - ele leva um susto.
- Uh hum.
- Me explica isso direito.
Eu então me sento na cama e começo a contar o que houve:
- Tudo começou quando você me beijou naquele noite. Me senti mal porque parecia que eu estava, de alguma forma, traindo o Pedro, então contei a ele o que houve.
Ele não gostou nadinha, claro, e desde então vem me destratando.
- Destratando você?
- É, bom, não destratando destratando mas sendo meio estúpido comigo.
- Uh, fale mais...
- E com isso as coisas começaram a desandar entre nós e ontem eu não aguentei e explodi com ele! Logo assim que cheguei em casa, depois do chopp no bar do seu pai.
Fui falar com ele de boas e o cara foi um mega babaca! Pronto, brigamos via Whatsapp e meio que terminamos o que lance que tínhamos.
- E daí você veio pra cá pra conversar comigo a respeito?
- É, eu precisava do apoio do meu amigo, tava fula! Eu sei que podia ter ligado ou mandado mensagem mas eu queria contato humano. E acabei tendo até demais!
- HAHAHAHA! Ô se teve! – e ele se gaba enquanto esfrega a barriga peluda.
- Aí é isso, essa é a história.
- E tá grilada por quê? Se não fizemos nada de errado.
- Como não? Traímos a nossa amizade!
- Eu não traí nada, já tinha dito que tava afim de você.
- Mas eu não tava afim de você.
- E tá afim agora?
- Chouri!...
...Tá aí uma boa pergunta!
- Tá? – ele insiste na pergunta.

“Tô?”, pergunto a mim mesma em silêncio.

- Eu... eu não sei te dizer ainda... eu tenho de botar meus pensamentos e sentimentos em ordem.
- Entendo... – e ele parece ficar meio triste com a minha resposta.
- Mas isso não significa que eu não continue gostando de você como amigo. Isso nunca vai mudar.
E ele sorri, de novo, um sorriso torto e sem dentes.
- Bom, eu preciso ir. - digo, já me levantando da cama.
- Aaah não, fica mais um pouco, não são nem 7 horas ainda. Vai mais tarde.
- Não posso, tenho de ver a Cake, a deixei sozinha a noite toda, nem troquei a sua água e ração. Além do mais eu tenho uma entrevista de emprego hoje às 11h,
na Barra! Não posso me atrasar.
- Porra mas logo na Barra?
- É o que tem, por sorte agora o metrô tá indo direto e chego lá em 20 minutos, mesmo assim ainda tenho de me arrumar e deixar tudo pronto para a Cake – explico
enquanto pego minha roupa que está jogada no chão.
- Quer que eu te leve até em casa de moto?
- Não precisa.
- Mesmo?
- Mesmo, de verdade, mas obrigada por se oferecer.
- Então tá tudo bem entre a gente?
- Tá, tá tudo bem entre a gente. Pode ficar tranquilo.
Visto a minha roupa e me despeço dele lhe dando um selinho.
- Me deseje sorte, vou precisar pois preciso muito desse emprego.
- Boa sorte, gata. Arrasa! 😉
- 😊

E com isso eu saio do quarto do Chouri, o deixando lá, nuzão, deitado em cima da cama. E quando passo em frente a cozinha do seu apê, vejo Davi sentado a mesa, lendo algo em seu tablete e se deliciando com uma xícara de café. Paro e lhe cumprimento.

- Bom dia, Davi! – digo toda animada.
- Bom dia, Cacau! Como foi a noite? – me pergunta com certa malícia.
- MaraviWonderful! Pena que não dá pra ficar um pouco mais pois tenho um compromisso agora na parte da manhã mas, quem sabe, eu não volto mais tarde? – respondo lhe mandando uma piscadela.
- Sabe que as portas da nossa humilde residência sempre estarão abertas a você a hora que quiser!
- HAHA, valeu Davi!

Me despeço dele e volto a pé para a minha casa mesmo, é perto. Chego às 7h41 e sou recebida com festa por Cake.

- Ô meu amor, me desculpa! A mamãe deixou você sozinha ontem a noite, não é? Mamãe má! Muito má! Ela não pode fazer isso com a Cake!

E depois de brincar e cuidar da minha garota, vou para o banheiro, tomo um banho caprichado, lavo o cabelo, me depilo, faço esfoliação... sei lá, me deu vontade de ficar linda pra mim mesma!

Banho tomado, vou para o quarto e escolho uma roupa para a entrevista. Vestido preto básico da Forever 21... é, vai ser esse, junto com meu casaco jeans e aquela bota nova de cano baixo da Via Marte (sei que não posso estar gastando dinheiro com coisas fúteis mas essa bota é trend, gente, tive de comprar).

Roupa devidamente escolhida e vestida, é hora de ir. Admito que começo a ficar confiante com relação a essa entrevista. Sinto que agora sim eu conseguir um emprego! É, essa vaga vai ser minha, meu destino tá na Barra!

Música de cena

Me despeço da Cake e vou andando até o Largo do Machado. 9h51 am e eu já estou na fila para recarregar meu Rio card.

9h59 am e eu já desci as escadas do metrô e estou esperando o dito cujo chegar.

10h08 am e lá vem ele, linha 1 sentindo Jardim Oceânico.

10h18 am e eu já estou na estação Cardeal Arcoverde.

10h33 am e eu já estou na estação Nossa Senhora da Paz.

10h50 am e eu já cheguei na Barra! Dudu muito obrigada por essa maravilha chamada Linha 4! Você fodeo com a cidade, gastou uma grana nisso aqui enquanto era nosso prefeito mas verdade seja dita, esse metrô é uma mão na roda! Se antes eu levava de 3 a 4 horas pra chegar na Barra, hoje levo só alguns minutos e sou grata!

10h55 am eu já estou no ponto de ônibus e entro no primeiro que vejo! Só pergunto ao motorista “Para no Downtown?”, e ele “Para, princesa”. OK, bastava dizer “PARA”,
o “princesa” foi desnecessário.

11h10 am e eu estou atrasada, a entrevista estava marcada para às 11h e já são 11h10!  Pelo menos já cheguei no Downtown Shopping.

11h11 am Saio correndo feito louca até chegar no bloco 10. Correr com essa bota não é nada legal, quase caio de cara no chão!

11h19 am e já estou diante da porta do escritório da Agência Ziriguindum Comunicação. Estou ofegante. Corri, e CORRI pra poder chegar o menos atrasada possível mas não adiantou muita coisa. 20 minutos atrasada mas tudo bem, pelo menos cheguei!

Respiro bem fundo, ajeito meu cabelo, seco aquele suorzinho na testa e toco a campainha. Já preparo meu sorriso simpático e a frase de desculpa pela demora quando uma tiazinha baixinha, com roupa de faxineira abre a porta.

- Oi, bom dia! – digo mega educada e radiante.
- Oi, bom dia – responde ela num ar de indiferença.
- Meu nome é Camila e eu tenho uma entrevista marcada para agora às 11h – explico.
- Ah tá, pode entrar, chegou cedo, tem ninguém aqui ainda não.
- ... Como é que é, dona?
- É, o povo aqui só chega tudo depois das 11h30. É raro alguém aparecer antes das 10h, com exceção de Seu Rogério mas até ele tá atrasado hoje.

OLHO PARA A CÂMERA E FALO:
- Isso só pode ser uma piada! Corri feito louca achando que tava atrasada e não tem ninguém nessa joça pra me receber! Fala sério!

- Mas entra, filha – diz a tal tiazinha da faxina - senta aí no sofá, pode ficar aqui esperando por eles, tô terminando de passar um cafezinho, vai querer?
- Vou sim, por favor.

Frustrada, entro na sala e me sento no sofá branco cinza que fica bem na entrada e não demora muito para a tiazinha baixinha simpática vir com uma xícara de café.

- Obrigada – agradeço gentilmente.

O tomo num gole só, devolvo a xícara para a tiazinha e fico aguardando alguma viva alma aparecer. Logo começam a chegar alguns funcionários, uns nem olham na minha cara, outros me cumprimentam por educação. Credo, que azedume! Que bad vibe. Tento me distrair mexendo no celular. Checo umas fotos no insta aqui, uns tweets ali, vejo quem me mandou mensagem no Whatsapp...

11h55 am e nada do tal de Rogério, será que aconteceu alguma coisa com ele?

12h10 pm tem gente que mal chegou para trabalhar e já está saindo pra almoçar. Vida boa essa, hein?

12h13 pm recebo um Whatsapp de Valentina:

VALENTINA: Cacau, o pessoal do SBT Rio quer nos entrevistar! Acabaram de me ligar agora, ficaram sabendo da manifestação de ontem e querem uma exclusiva com nós duas para amanhã às 8h. O quê acha? Vai poder participar?

Porra outra entrevista? O povo tá mesmo interessado nesse caso. Confirmo minha presença e Tina vibra de felicidade!

VALENTINA: VLW! Vou avisar a eles! Aliás como foi a entrevista de emprego de hoje?
EU: Não foi, ainda tô aguardando o tal do Rogério aparecer. Vou esperar até às 12h30, se ele não chegar até lá então eu vou embora.
VALENTINA: JURA????? Q vacilão!!!!!! 😠
EU: TBM ACHO! 😤😤😤😤😤

12h24 pm e nada do cara. Me levanto e vou na direção da recepção e pergunto a mulher que está atrás do balcão se ela tem informações sobre o paradeiro do tal do Rogério?
- Só um segundo, vou tentar entrar em contato com ele pelo celular. – ela avisa.
- Aaah, obrigada.

Fico aguardando uma resposta desse telefonema quando a vejo/ouço dizer: “Aham.. Aham... tá, sei... aaah entendi... tá.... aham... aham... pode deixar, eu aviso a ela... OK, obrigada Rogério”.

“EU aviso a ela”, avisar o quê a mim? Será que aconteceu algo grave com o cara? Algum acidente vindo pra cá? Aí MEO DEOS! Tô aflita agora!

- Cacau? – pergunta a mulher da recepção.
- Sim?!
- Desculpa mas o Rogério não vai poder te atender hoje. Ele esqueceu que tinha marcado essa entrevista com você.
- ... Ele.. O QUÊ?!
- É, ele pediu pra avisar que esqueceu de você, está com a cabeça a mil por causa de um cliente antigo nosso e esqueceu completamente de você mas pediu pra avisar que depois liga para remarcar essa entrevista, tudo bem?

NÃO PIRANHA, NÃO TÁ TUDO BEM! NÃO TÁ NADA BEM! COMO ASSIM O BUNDÃO ESQUECEU DE MIM? QUE FALTA DE PROFISSIONALISMO É ESSA? É CLARO QUE NADA ESTÁ BEM, CARALHO! EU ME DESLOQUEI DA MINHA CASA, GASTEI DINHEIRO E A SOLA DO MEU SAPATO NOVO PRA VIR ATÉ AQUI PRA ESSE IMBECIL NÃO APARECER PORQUE ESQUECEU DE MIM E AINDA PERGUNTA SE ESTÁ TUDO BEM? AAAH VÁ PRA CASA DO CARALHO!

Essa era a resposta que eu queria dar mas não dei, apenas pensei em dar. Mas respirei fundo e engoli a raiva dessa vez e dei como resposta um sonoro e educado:
- Tudo bem. Obrigada. Com licença.

E fui embora dali para nunca mais voltar. Sério, esqueceu da entrevista, eu mereço!

2h11 pm e chego em casa detonada! Antes tivesse ficado com o Chouri transando a manhã inteira que saia ganhando bem mais! Pego a Cake nos braços, sento com ela no chão e começo a chorar. Hoje é dia 22, daqui a 2 semanas eu já terei de pagar o condomínio e o aluguel. Daqui a 2 semanas o meu dinheiro reserva vai dar seu último suspiro. Essa entrevista era minha última esperança e agora não me resta mais nada. Para não me prejudicar ainda mais o melhor a se fazer é contar a minha tia o que está havendo e explicar que não tenho mais como bancar as despesas disso aqui... e com isso eu terei de voltar a morar com ela pois tenho certeza que ela não vai pagar meu aluguel enquanto eu estiver na pindaíba. Conheço.

Que merda, voltar a morar com a minha tia é de amargar!

6h38 pm e Chouri me manda um Whatsapp:
ANTÔNIO/CHOURI: E aí, como foi lá na entrevista?
EU: Não foi, não rolou, o cara esqueceu de mim, acredita?
ANTÔNIO/CHOURI: Como assim ele esqueceu de vc????
EU: É, esqueceu de mim, que tinha marcado de me entrevistar hj e não apareceu, dá pra acreditar numa coisa dessas?
ANTÔNIO/CHOURI: Não, não dá! Bizarro!
EU: Surreal
ANTÔNIO/CHOURI: Louco!
EU: Bundão! (Não vc, o babaca lá, é claro)
ANTÔNIO/CHOURI: Cuzão! (Não vc, o babaca lá, é claro)
EU: HAHA(emoji chorando de tanto rir) Um débil mental!
ANTÔNIO/CHOURI Um retardado!
EU: Um fumado!
ANTÔNIO/CHOURI: Um bunda rachada!
EU: Um matusquela!
ANTÔNIO/CHOURI: Ele comeu criança quando era merda!
EU: HAHAHAHAHAHAHAHA! Essa foi ótima!
ANTÔNIO/CHOURI: :p
EU: Só vc pra me fazer rir nessa situação!
ANTÔNIO/CHOURI: Pq? Antes estava chorando?
EU: Tava! Não é pra chorar? Eu vou ter de sair do meu apê e voltar a morar com a minha tia
ANTÔNIO/CHOURI: PQ?
EU: PQ eu não tenho mais dinheiro algum pra pagar as contas
ANTÔNIO/CHOURI: Putz...
EU: É...
ANTÔNIO/CHOURI: Eu sinto muito
EU: Eu também. Já não sei mais o q fazer e já estou perdendo a fé
ANTÔNIO/CHOURI: Quer vir aqui pra conversa?
EU: Na verdade eu não tô muito afim de sair de casa hj, não. Quero agora aproveitar cada segundo disso aqui antes de ir embora
ANTÔNIO/CHOURI: Quer que eu vá aí então?
EU: Quero! Mas traga vinho
ANTÔNIO/CHOURI: VINHO?????
EU: É! Vinho! Eu bebo vinho pra afogar as mágoas. Uns bebem cerveja, eu bebo vinho, e vinho tinto! Nada de seco!
ANTÔNIO/CHOURI: Tá legal, vinho. Maluca
EU: É vc que é!
ANTÔNIO/CHOURI: :p
EU: :PPPPPPP
ANTÔNIO/CHOURI: ;) chego aí em 1 hora

E não é que ele chegou exata 1 hora depois, com uma garrafa de vinho na mão e um saquinho de comida na outra.

- O quê é isso?! – pergunto apontado para o tal saco.
- Xburguer de costela bovina com queijo cheddar e bacon do Gatto Guapo, espero que goste – me responde ele já me entregando o saquinho todo engordurado.
- Chouri, além de me trazer vinho você também em trouxe comida... CARA, EU TE AMO!

E sem pensar muito eu me jogo nos seus braços e lhe dou um beijo. Mas meu gesto foi de zoeira, tudo não passava de uma palhaçada da minha parte como quando o Johnny vem até a minha casa com uma garrafa de Dom Bosco e eu falo “Cara, eu te amo!”, e como quando a Fabricia aparece aqui com o card do Netflix e um pote de sorvete de creme da Kibon e eu lhe digo “Cara, eu te amo!”. Então, fiz o mesmo com o Chouri porque eu amo os meus amigos e digo isso com a maior naturalidade e
carinho do mundo! Só que eu esqueci que, nesse caso, Chouri está começando a ultrapassar a linha da amizade e ao me jogar em seus braços e proferir “Cara, eu te amo” ele foi, me agarrou pela bunda e retribuiu meu beijo de um jeito que GZUIS AMADO A GENTE JÁ ESTÁ NO MEU QUARTO, TIRANDO A ROUPA UM DO OUTRO E CHABLAL!

8h12 pm
- OK, você tem noção de que te chamei aqui pra gente conversar de boas, não é?
- Uh Hum! – responde ele com um sorriso malicioso na face.
- E que transar não estava dentro do contexto, não é.
- Não, magina! – e ele segura o riso.
- E que foram 2 mancadas em menos de 24 horas e isso tá muito errado!
- Tem razão, poderiam ser 3 mancadas mas podemos resolver isso agora se quiser... – fala ele já montando em cima de mim de novo.
- Chouri! – digo tentando afastá-lo.
- Aaah qual é Camila, deixa rolar! Tá tão bom assim, por que não me aceita logo como seu amante?
- Amante não! Você tá mais pra... boy crush.
- Pra o quê?!
- Boy crush.
- Boy crush?!
- Boy crush!
- Tá mas o quê é boy crush?
- Boy crush?
- É? Bou crush?
- Boy crush é você, ué!
- Tá, boy crush... então eu sou boy crush?
- Uh hum! ^^
- ... tá OK, boy crush. Já é alguma coisa, né?
- E dê-se por satisfeito. Agora se me dá licença, eu vou devorar aquele XBurguer de Costela Bovina que você trouxe.

Me levanto nua da cama e vou até a cozinha feliz da vida mas quando chego lá, SURPRISE BITCH! No calor da emoção, eu deixei o saquinho engordurado cair no chão e adivinhem quem comeu todo o meu hambúrguer?

- Cake! Você não fez isso?!

E ela balança o rabinho toda animada como quem diz “bobeou, perdeu, mãe!”

- Que foi? – diz Chouri aparecendo só de cueca samba-canção.
- A Cake comeu meu hambúrguer! E agora?
- E agora que a gente pode ir até o Gatto Guapo mesmo e pedir outro. Topa?
- ...É, topo! Gostei da proposta, bora lá.

Eu então tomo uma ducha rápida, repito a roupa que usei na entrevista e vou com Chouri (e Cake) até o trailer do Gato Guappo que fica em frente a Paróquia Cristo Redentor. Nos sentamos em umas cadeiras vagas, pedimos o nosso lanche e aí sim eu lhe explico o ocorrido da entrevista que não ocorreu:
- É muita loucura isso, né cara? Eu ainda vou escrever um livro contando todas as minhas desventuras a procura de um emprego! Te juro!
- Mas isso não acontece só com você, Camila, eu mesmo já passei por cada coisa... – explica Chouri - ... uma vez, enquanto buscava um estágio, o cara me colocou pra desentupir uma privada.
- AH?
- Te juro pela minha mãe, ele fez isso! Noutra uma mulher disse que só me contrataria se eu pintasse o cabelo de preto, na época ele estava vermelho.
- Fala sério!
- Sério! OK que é difícil para alguns aceitaram o meu visual mas é erradíssimo pedir ao seu funcionário que o mude porque não lhe agrada.
- Verdade.
- Por isso te digo por experiência, não fica chateada com o que aconteceu, vai ver foi melhor assim, não era a empresa certa pra você, não era um emprego que iria lhe satisfazer ou que o ambiente de trabalho não era dos melhores. Você não disse que a galera de lá parecia meio azeda?
- É, parecia.
- Então, vai ver os caras são tão cuzões quanto o cara que iria te entrevistar. Pensa que você escapou de uma cilada.
- ...É, tem razão!
- E é o que a minha mãe sempre diz: “Não é você quem está procurando o emprego certo, é o emprego certo quem está procurando você”.
- ... Puxa, esse emprego certo poderia me achar logo, né não?
- HAHAHA, ele vai te achar, relaxa.
- Eu tô tentando relaxar, Chouri, de verdade, mas a cada dia que passa isso fica mais difícil. Você tem noção o quão trevoso vai ser ter de voltar a morar com a minha tia?
- Porra, isso é tão ruim assim?
- Isso é mais que ruim, isso vai ser um inferno! Ela sempre foi chata mas de uns tempos pra cá a bruaca surtou de vez! Se eu te contar as coisas que eu passei no período em que estive com ela...
- Me conta aí, tô aqui pra isso, temos a noite toda pela frente.

E eu contei a ele tudo o que houve e não sabem como foi bom esse papo, esse desabafo, a transa... a situação em si. É bom ter um homem ao meu lado, me ouvindo e me dando aconchego nesse momento. Quem não gosta disso?

A coisa foi tão boa, mas tão boa que Cake e eu voltamos pra casa quase às 2 da madruga e eu capotei bonito na cama! Um sono profundo, tão profundo mas tão profundo que só acordei na manhã Seguinte com a Valentina me ligando.  Pego o celular e, antes de atender a ligação, vejo a hora: 7h37 am. Caralho, o que a Tina quer a essa hora da manhã?

- Alô? – a atendo meio mal humorada.
- Cacau?
- Quê é?
- Você já tá chegando?
- Chegando aonde?
- Como aonde? Aqui em casa pra entrevista com o pessoal do SBT Rio.

... PUTA QUE PARIU A ENTREVISTA! EU ESQUECI COMPLETAMENTE!

Na hora eu dou um pulo da cama e respondo Tina na maior tranquilidade:
- Sim amiga, eu já tô chegando aí, guenta só mais um pouquinho!
- Tá bem, tô te esperando. Beijos.
- Beijos, flor!

E como um raio eu visto a mesma roupa de ontem (não tô com tempo pra pensar pra escolher o look agora), mesmo ele com cheiro de Barra da Tijuca e fluidos corporais do Chouri (TV não tem cheiro então não tem problema), passo um lenço umedecido na face pra tirar a expressão de sono e chamo um Uber, ou tento chamar um Uber! Não consigo, dá cartão não autorizado.

- O QUÊ? QUAL FOI?! – reclamo comigo mesma.
OK, deixo pra resolver essa questão do Uber depois, bora para o plano B, vê se tenho algum dinheiro guardado pra pegar um táxi. Encontro uma nota de R$20 na carteira, isso deve dar. Precisa dar!
Saio correndo até a porta do condomínio e dou o sinal para o primeiro táxi que vejo. Ele para na minha frente e entro feito um raio no carro!

- Moço pelo amor de Jeová, me leva para o Rio Comprido correndo!
- Calma moça, calma que eu levo!
- Beleza, mas você acha que, daqui até lá deve dar mais ou menos quanto?
- Aaah, uns R$20.
- Ótimo, pois é tudo o que eu tenho agora!
E ele me leva até o Rio Comprido, e a corrida dá exatos... R$21.
- AAAH PORRA! Não tenho 1 Real! E agora?
- Tudo bem, morena, eu me paga só os R$20.
- Obrigada, muito obrigada! De verdade! Que Deus lhe abençoe!
Entrego a nota de R$20 ao motorista e saio de seu carro mais rápido do que entrei e como um raio...


... eu entro na casa de Valentina!

8h26 am
UFA! Cheguei a tempo! O pessoal do SBT só estava me esperando para a entrevista.
- Cacau, o quê houve?! – me pergunta Tina.
- Desculpa gata mas é que eu esqueci completamente da entrevista.
- Esqueceu? ESQUECEU? Como assim esqueceu?
- É, eu... esqueci! Desculpa! Não foi por mal mas é que a minha cabeça tá cheia por conta desse lance de não conseguir emprego e...
- Tá tá, depois você me explica melhor essa história. Agora vamos lá, vamos dar logo essa entrevista.
- Tá!

Ela tá puta comigo. Tenta disfarçar mas tá visivelmente puta comigo porque esqueci da entrevista. Agora vejam só como o carma é uma coisa que tarda mas não
falha – ontem eu estava xingando o tal de Rogério porque ele se esqueceu completamente que tinha entrevista comigo e hoje sou eu quem estou sendo xingada porque
esqueci completamente da entrevista com a Valentina!


Carma, nunca duvide dele.

A entrevista correu super bem e o pessoal do SBT garantiu que esta iria ao ar ainda naquela tarde. Feito isso eu me despeço de Tina e Virginia e vou pra casa.

Ela continua de cara amarrada por causa do meu esquecimento mas vou deixar para resolver essa questão com ela depois. Agora eu só quero voltar pra casa e descansar mais um pouco. Sério.

Vou até o ponto de ônibus e assim que avisto o 133 dou sinal. Quando este para na minha frente é aí que me lembro que estou sem dinheiro! Gastei tudo o que tinha pagando o taxista! PUTA MERDA,E AGORA?

Agradeço ao motorista do ônibus e o dispenso. E agora, como faço pra voltar pra Laranjeiras? Cogito em voltar para a casa de Valentina e lhe pedir dinheiro mas, sei lá, não tô afim disso. Podem me chamar de orgulhosa mas não vou pedir dinheiro pra ela agora. Vou para o plano B, pego o  celular e faço uma ligação para Chouri:
- Chouri?
- Diga.
- Por favor, me diz que você ainda não foi para o bar do seu pai e que está em casa e que pode me ajudar em uma coisa!
- Eu ainda não fui para o bar do meu pai e estou em casa e posso te ajudar em uma coisa.
- Aí obrigada! Muito obrigada! Eu preciso que venha me resgatar aqui no Rio Comprido.

E ele vai me resgatar, meu príncipe azul montado no cavalo branco, digo, meu príncipe pardo punk montado na sua moto.

- Você é o melhor boy crush EVER! – lhe digo enquanto lhe dou um mega abraço.
- Pensei que ia dizer “Cara, eu te amo!” – ele debocha.
- Isso eu só digo quando você me traz comida!
- HAHAHA, boa. Sobe aí, vou te levar pra casa.

E mais uma vez o dia foi salvo graças ao Chouri. Até agora esse rapaz só deu close certo. E ainda por cima é bom de cama, Benza Deus!

A nossa entrevista foi mesmo ao ar naquela tarde no SBT Rio. Ficou ótima e, de novo, teve uma repercussão positiva a nosso favor. Não resisti e fiz um jabázinho, a postei no meu facebook em modo publico e também no meu twitter e ainda fiz um story no insta durante a transmissão e... será um exagero publicar isso no meu Linkedin?... Aaah postei assim mesmo! Resultado da minha edição de vídeo, pronto, essa é a explicação que dou. Logo começo a ganhar várias curtidas, gosto disso,
bora confessar que o ser humano, hoje em dia, passou a alimentar o ego com curtidas.

Bom, mais uma etapa da fase #SOMOSTODOSVALENTINA cumprida com sucesso.



Rio de Janeiro, Laranjeiras
28 de março de 2017
7h17 pm


Como havia dito anteriormente, meu dinheiro já está chegando ao fim e preciso explicar a minha tia o que está acontecendo. Desde às 4 horas da tarde que estou tomando coragem para ligar pra ela mas a coragem só chegou agora, 7h17 da noite, depois de 3 taças de Dom Bosco (o vinho que o Chouri trouxe pra mim a alguns dias atrás). Pego o telefone, disco o número rapidamente e espero alguém me atender e torço, indiretamente, para que isso não aconteça mas acontece. E é Flor de Liz quem está do outro lado da linha:
- Alô?
- Oi Flor, sou eu, Camila.
- Oi prima! Tudo bem?
- Tudo, e com você?
- Tudo bem também, naquela correria de sempre. Diga lá o quê deseja?
- Flor, a tia tá aí?
- Tá, tá sim, só 1 momento... MÃE! Telefone! É a Camila.

E alguns segundos depois ela atende:
- Camila?
- Oi tia, tudo bem?
- Tudo – seca como sempre.
- Que bom.. tia... precisamos conversar.
- Diga.
- É sobre a minha situação.
- ... sua situação?
- É tia... é... – não consigo dizer mais nada a não ser “é”.
- Você está indo na Dra. Luiza?
- Sim tia, as sessões estão correndo bem.
- Então o que houve?
- Bem, é... é...
- Camila eu não tenho a noite toda, seja direta.
- É um assunto delicado, melhor não tratarmos por telefone. Posso ir aí?
- ... – ela fica muda por alguns segundos - ...venha jantar conosco amanhã. Dia 29, dia de nhoque.
- Aaah perfeito! Estarei aí às 20h em ponto!
- Ótimo.
- Ótimo, beijos!



Rio de Janeiro, Vila Isabel
29 de março de 2017
8h00 pm em ponto

Música de cena:


Sim, minha tia janta todas as noites às 8 horas em ponto, sem nenhum atraso e sem nenhuma interrupção, por isso não ousei me atrasar para esse “compromisso”. Às 7h eu já estava tocando a campainha de sua casa e às 7h59 pm eu e Flor de Liz já estamos sentadas à mesa aguardando ela vir com a panela de nhoque. E às 8h em ponto ela pós a panela em cima da mesa e anunciou o jantar. Tudo isso ao som de Frank Sinatra pois ela adora jantar ouvindo algum clássico de algum cantor icônico como Frank Sinatra ou Tom Jobim ou Elvis Costello e assim por diante.

- Uuuh nhoque, tá com uma cara boa! – digo tentando ser o mais agradável possível.

Ela só me olha séria enquanto pega a colher grande e se serve da comida. Flor percebe sua antipatia e tenta quebrar aquele gelo:
- De fato mãe, a comida tá com uma cara ótima. A senhora sempre acerta no nhoque!

E ela olha séria para Flor e nada diz também. Que beleza, tá naqueles dias! Espero ela terminar de se servir e pego a colher grande e coloco um pouco de nhoque pra mim e depois passo a colher para Flor. Mal ameaço dar a primeira garfada e sou interrompida com a pergunta direta de minha tia:
- Colocou a nota de 1 dólar debaixo do prato?
- AH?! – me assusto com o garfo pousado no ar.
- A nota de 1 dólar, como manda a tradição.
- Aaah sim, a nota de 1 dólar, já ia esquecendo.
- Como sempre.

AFF! Estúpida! Me levanto da mesa, vou até a  minha bolsa que está jogada no sofá, pego minha carteira e retiro a nota de 1 dólar que estava guardada. Nota essa que ganhei quando comi o primeiro nhoque da fortuna anos atrás, num almoço de domingo e estava acompanhada justamente da minha tia daquela data, quando ela ainda não era tão ignorante como é hoje... enfim, pego a nota e volto para a mesa. A coloco debaixo do prato e aí sim começo a saboreá-lo... PORRA, A VACA COZINHA BEM! Admito! Está uma delícia! Mas até pra comer na presença dela é complicado:
- Mastiga devagar, Camila. Parece um mendigo esfomeado.
OLHO PRA A CÂMERA E FALO:
- AFF! Tão vendo o que eu tenho de aturar!
- Bom, o que queria conversar comigo? – ela pergunta

Quase me engasgo com o nhoque. Mas já? Não é melhor esperar a sobremesa?!

- Bom tia, as coisas não andam muito bem em termos financeiros.
Ela para de comer na hora e me olha mais séria do que o de costume. Parece o Senhor Hetfield, da Família Dinossauro, olhando para o Dino, Cruz Credo!


Engulo em seco o medo, respiro bem fundo, e continuo a explicação:
- Eu fui demitida.
- Como é? – pergunta ela.
- O QUÊ?! – exclama Flor de Liz.
- É, eu fui demitida. - respondo sem olhar para as duas.
- Quando isso? – pergunta Flor.
- No final do mês de Janeiro, assim que voltei de férias.
- Ou seja, já vai fazer 3 meses – questiona a minha tia.
- Bom... é... hehehe – rio sem graça enquanto dou um gole no meu copo d´agua.
- E você só foi me contar isso agora?
- Bom, é que faltou oportunidade.
- Oportunidade? Em 3 meses?
- É tia, eu... na verdade eu estava com receio em lhe contar, foi isso.

Ela larga o garfo com toda a brutalidade sobre a mesa, bufa, me encara com aquele olhar e fala:
- Receio? Receio?! Como assim receio? Por que você teria receio de me falar o que está acontecendo? Por acaso eu sou tão ríspida assim que você não consegue me contar as coisas?

... OK, essa pergunta foi o uma pegadinha, né? Só consigo lhe olhar com uma expressão de “É sua vaca, a parada é essa mesma!”.


Enquanto Flor tenta segurar o riso!


Ela se diverte com essas situações.

Minha tia bufa novamente, curva os lábios em sinal de reprovação, leva a mão até a boca como quem se cala para não falar uma besteira e fica me encarando por alguns segundos. Tento me manter o mais calma possível mas a verdade é que tô me borrando de medo. Perdi até a vontade de comer o nhoque... mas daqui a pouco a vontade volta! É comida, né gente!

- Tudo bem Camila, sendo assim o quê você pretende fazer? Não me diga que quer dinheiro emprestado? De novo? – ela questiona.
- O quê? Não! Não é nada disso! A questão toda é...

E ela para e me olha sério de novo, e dessa vez Flor de Liz faz o mesmo também. Silêncio total, só se ouve a voz de Frank Sinatra tocando na playlist do Spotify.

Meu coração gela de pânico, tento prosseguir com a conversa mas tá difícil!

- Eu... aah...
- ...
- ... o quê eu quero dizer é que... aah...
- ...
- ...aí caralho...
- Sem palavrões na mesa – ela pede.
- AAAAH TIA, IN THE NAME OF CHRIST! Olha só, a parade é que...

E meu celular vibra! SALVA  PELA TECNOLOGIA! O pego na hora para ver quem está me mandando mensagem.

- Sem celular durante o jantar – ela pede.

Mas eu a ignoro, fico sem ar quando vejo do que se trata, acabo de receber um e-mail do Lipe, Lipe Munhoz, da agência Grid. Lembram dele? Daquela entrevista que fui indicada pelo Tomaz? Então, ele me manda um e-mail com os seguintes dizeres:

[Re] Assunto: Vaga design

Oi Cacau, tudo bem? Espero que sim!
Seguinte, o designer que contratamos não vai poder ficar na vaga, parece que ele recebeu uma proposta melhor e vai se mudar para São Paulo! Com isso, como você foi a
segunda colocada, gostaríamos de estar lhe chamando para fazer parte da nossa equipe. O quê acha? Se a resposta for sim há alguma possibilidade de você já começar
nesta segunda-feira, dia 3/4?


No aguardo.

Att.:
Lipe Munhoz
Supervisor de Criação



OH... MY... GOD... é isso mesmo? Eu consegui um emprego?.... É, é isso mesmo, eu consegui um emprego! EU CONSEGUI A PORRA DE UM EMPREGO!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!! Pior que meu grito é interno já que estou na casa da bruaca da minha tia e tento me controlar! Mas minha expressão de felicidade fica nítida.

- ... Camila? Tá tudo bem? – pergunta ela
- É prima, você tá vermelha. O que foi que recebeu aí? Nudes? – pergunta Flor tentando dar uma olhada na tela do meu celular.
- Recebi algo melhor que nudes, recebi uma boa notícia!
- Que boa notícia?
- A notícia de que não vou mais precisar morar com vocês! Tia me passa o sal, por favor. Seu nhoque tá ótimo mas precisa de um pouquinho mais de sal. Ela não entende nada e ainda fica puta com a minha observação sobre o sal mas nem ligo! Estou em ecstasy, não vou precisar morar com ela de novo! Meu apê está a salvo!

Depois do jantar eu corro pra casa para dar as boas novas a Cake!:
- Bebê, mamãe conseguiu! Mamãe tá empregada de novo!

Ela late e comemora junto! Ela sabe, de alguma forma ela sabe!

Pego o celular e mando mensagens para todo mundo avisando do ocorrido, inclusive para Tomaz que foi quem me colocou nessa parada:

EU: Vlw cara, de verdade, se não é vc eu tava f#did@! Essa vaga não poderia ter vindo em melhor hora!
TOMMY: Disponha! Mas ô, tá me devendo a primeira rodada de chopp no próximo happy hour.
EU: Depois dessa te compro o bar todo!
TOMMY: HAHAHAHA 😂😂😂😂😂😂😂😂😂

E por fim mando Whatsapp para Chouri:
EU: Boy crush você não sabe da maior...

Cara que alívio, serião, que alívio da porra! As coisas estão voltando aos eixos.

WhatsApp do Chouri:
ANTÔNIO/CHOURI: Posso passar aí pra gente comemorar seu novo emprego? Prometo levar outro XBurguer de Costela Bovina com queijo cheddar e bacon.
EU: “Cara, eu te amo!”

Eu gosto de brincar de ser blogueira e aqui eu vou compartilhar com vocês um pouco do meu trabalho como designer e cool hunter. E também vou mostrar as novidades do mundo atípico e como fazer para interagir com esse universo porque... né!

0 comentários:

Postar um comentário

@cacaudossantos
+55 21 9999-31199
Bairro das Laranjeiras, Rio de Janeiro - Brasil

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *